Arquivo | Humor RSS feed for this section

Kaos, kaos! TKTCAAAHHH…

28 set

A linha 3 do Retrô de São de Janeiro é a mais movimentada da Via Láctea. Estima-se que pelas 4 estações e meia, espalhadas em uma rede de mais de 12 metros, passem mais de 56 mols de pessoas por segundo. A maioria absoluta indo para a Z”L (“De Abençoada Memória”, para os judeus, ou “Zelê” para a galera que não mora em Jerusalém), onde todo mundo mora, vamos ser francos montoros. Todo mundo, inclusive eu e você!…

Bem, ultimamente o sistema anda dando alguns pales, algumas BSODs, o que deixa o público ligeiramente contrariado. E a última foi quando um trem parou na Estação Perdo IIº. A princípio, pensou-se que era por causa da estação, em um programa de estímulo ao uso de estações em desuso, já que o grosso da galera desce em Estudantes, no bairro de Caixa-Prego. Mas o que aconteceu em seguida é que todos os trens que estavam andando pararam, as pessoas saíram e começaram uma peregrinação pelas linhas e trilhos do Retrô. Os passageiros aproveitaram uma brecha na legislação e começaram a entoar cantigas não mais permitidas em estádios de futebol, aquelas escritas originalmente por Dersy Gonsalves. As multidões caminhavam e cantavam seguindo a canção, somos todos iguais, braços dados ou não.
Ao chegarem nas estações, a cantiga muda e passa a ser Vale tudo, de Tim Maya, também conhecida como a música tema dos lutadores de MMA. Com um ligeiro mashup de Não se reprima, pois alguns passageiros também gritavam à valer, porquê “é relaxante e faz bem à cabeça”.
Enfim, um dia deveras trancöílo na Cidade Maravidjôssa. O saldo foi de 275 reais e 38 centavos.

Depoimentos sortidos à granel
Maria Idelfonso Pajares, de 2& anos: “O ar estava irrespirável! Tinha um cabra lá dentro, de celular, que estava passando trote em um tal de Chico Butique, e estava poluindo o ar, e as janelas não abrem, então arrebentamos as janelas, como se o nosso time tivesse perdido!”
Edelweiss Prosdócimo 2 portas com Freezer, 17,4 anos: “O trem brecou de repente, pá! Aí os tiozinho tudo deu salto mortal pra frente, foi mó loco, véi.”
Torta de Maçã do Amor Gonçalves, 7H anos: “É muita irresponsabilidade! O locutor do trem mandou a gente pra aquele lugar (estação não constante do mapa do sistema) e colocou um CD do Gansos en Rouses muito alto… Esses concursos públicos não são mais como eram antigamente!”
Pedro Petronilho Perreira, P4 anos: “È inadmnissível! Vênho achi desde quando era limnha de trem puxado por búrros! A estacção Pêrdo II tinha êle próprio como lanternêiro! Núnca aconteceu semelhante mixórdia em tôdos estes anos usando o transporte públicho! Assaz escassez de intercursos carnais, ao retornar àos meus aposentos, hei deveras de proferir torpezas ao ‘Toíter’! Coracção, ésse dois, ésse dois!”
Wallace Kabomem de Oliveira, 19 anos e meio, funcionário da TV Salt Cover: “Véi, na boa. Já andei na montana russa do Preicênter, sacolejava menos, a galera gritava muito menos… e lá a gente chegava no destino na hora cerrrta!”

Os trens parados e a galera peregrinando pelos trilhos foram destaques na imprensa nacional e internacional. Um locutor da Focs Níus começou a rir ao ler os números da rede. “Desculpem, mas… parece o Cubs!  Hi hi hiiii…”
No começo da noite, o Retrô, que ultimamente não deixa passar nada embranco (inclusive opinou sobre os últimos debates e sobre as escalações das equipes na copa da África do Sul) soltou uma nota. Desafinada, mas tudo bem. Já já vai ser jurado do Xou de Calouros!

Comunicado do Retrô de São Paulo expõe a visão imparcial e isenta dos fatos tais quais este se apresentam.

Comunicado do Retrô de São Paulo expõe a visão imparcial e isenta dos fatos tais quais este se apresentam.

Com imagens de Mestre Vitalício, Albino Negresco para o SP VT !

Anúncios

Etretenenimento: Estrevista cos Valter Trisney Nectum!!

22 jul

Valter Trisney III, atual sócio minoritário de Valter Trisney Indústria e Comércio Ltda., a popular "Trisney".

AAAAAHHH que beleza, amigo! Estamos aqui nos Estádios Runídos com o homem, o mítio, a lêndea viva, VAAAAAAalter Trisney III! O homem que transformou alergias em tristezas e pães doces em realidade!
– É, mais ou menos, eu só estou aqui porquê fui convidado para a São Bento Comic Sem! Senão por mim eu tava lá em casa.
Certo. Quantos anos?
– 84 anos bem vividos, graças à Deus, e desenhando desde os 5 anos, gracças ao meu saudoso pai, Valter Trisney Jr.
Os leitores não estão vendo, mas ele acabou de fazer um retrato meu com caneta Bic, muito bacana, seu Valter…
– O mesmo que todos dizem. 15 centavos, por gentileza…
Tsgrila, tô sem trocado, serve 1 dólar?
– Serve!
A pergunta que não quer calar: Zicky Zira existe? Ou é tudo obra do acaso?… rerere
– Ele não anda aparecendo muito ultimamente. Mas lembrem-se que ele mora no Japão, faz uns… 20 anos. Então, ele anda aparecendo bastante em programas japoneses. Afinal, eles não se esquecem do tempo em que ele passou lá sendo um animê.
Bacanas Records. A empresa de vocês é conhecida por fazer planos à longuíssimo prazo. Mesmo assim, quais são os planos de vocês?
– Muitos pedem e insistem para que haja mais de uma Valter Trisney Uôrlde. Mas gente, vocês não sabem como é difícil. Na construção da VTU foi usado material que daria para fazer 300 shopping centers, 20 estádios de futebol padrão PHIPHA e 70.000 casas populares (que são umas casas bonitas, simpáticas, que se vestem na última moda e cheias de amigas interesseiras quando vão à escola!) A construção de outro parque semelhante poderia por em risco as reservas de argila e pedras do planeta.
Bom, isso é algo que vocês não pretendem fazer, mas o que vocês pretendem fazer, então?
– Com certeza, os nossos filmes que espantam o mundo há 110 anos.
E quais são eles?
– Bom, não é nada que já não tenha aparecido naquele site Animagion-Animatic… É o nosso projeto em trêsdê, Zicky Vai te Catar, com uma história revolucionária, escrita por aquele brasileiro, Santiago Tiago. Olha o começo: e se uma nova tecnologia pudesse colocar você dentro do corpo de outra pessoa?…
Bem, depende. Controle de pessoas à distância é uma das habilidades da Força Sindical, o poder dos Jedáis
– Não, no caso deles eles viram tipo uma televisão interativa. Ele passa a controlá-lo completamente, entende? E as pessoas vão ver isso em dendê, digo, em tresdê. E vamo ajudá as criancinha, pô!

Paula S. Trisney, a herdeira do império: no que depender dela, a empresa já era...

É, Valter Trisney III calado é um poeta, mesmo porquê, só Valter Trisney Jr. se meteu a dublar alguns personagens. Mas vamos lá. Você já passou dos 80 e provavelmente já já será multado pela Polícia Rodoviária. E a sua filha, a Paulinha o que que eu fá-çúúúPaula Trisney, quedê ela?
– Justamente, ela está no Japão com a dona Sunoko Trisney, pra fazer uns cursos de reciclagem pofrissional. Já já ela tá de volta.
Mas aí que tá. O planejamento continua todo nas suas mãos… ela não irá assumir a empresa algum dia?
– Ela ainda está pegando o jeitão da coisa. Sabe, no século XIX, Valter Trisney, Sr. ensinou Valter Trisney Jr. a ser um empresário do ramo de entretenimento e comunicações desde os 8 anos, e este me ensinou desde os 4 anos… Infelizmente, a minha vida cismou de ser diferente, e pra contrariar, casei-me com uma seiyuú japonesa.
Say you, sem mim, say you for always, that’s the way it should be?
– Exato. E Paulinha é tão diferente de mim que muitos acham que ela é adotada, vê se pode. Vai escrever isso na manchete não, hein? E apesar de crescer rodeada dos melhores desenhistas que poderiam haver no universo (três deles eu peguei da equipe do Leonardo DA-20), aqueles que ganham três vezes mais só pra não ter conta no DéviantArte, ela não desenha lá muito bem não, sabe?… Então, assim fica complicado pra nós.
Mas o senhor…
Tem muitos filhos, muitos filhos Ele tem! Eu sou um deles, você também…
Sorry, my bad. Você até que está muito bem-ajambrado para 84 anos!
Bem, isso se deve à uns produtos que eu estou usando, como um tal de Foto Shopping, são usados por outros artistas por aí para parecerem mais jovens. Como o meu neto mais famoso, o Jâstin Bíber. E uma menina que trabalha com a gente que é o xodó de Paulinha, a Rana Montanha, filha da inesquecível Rana Barbéra.

Fã tira foto com Valter Trisney III na São Bento Comic-Sem: "Com 20 dessas consigo uma da Mulher Flatulência", diz ele.

E até quando você pensa que irá viver?
Mas até parece que tu não conheces nossa família? Valter Sr. morreu aos 105 anos, Valter Jr. aos 103. O fato de eu almoçar e jantar no Mech Rônalds, aproveitando-se do patrocínio vitalício que eles dão à mim e à Zicky Zira não influi em absolutamente nada. E o patriarca Virsom Trisney, pai de Valter Sr.,morreu aos 139 anos. O epitáfio dele: “EGO CONTEEEEEEEEEEMNO BETAS” – em português, “eu odeeeeeeeeeeeeio beterrabas”. Pois é…
Ok. Voltando aos assuntos agradáveis (pelo menos enquanto não mencionarmos os preços), tem alguma novidade vindo aí em Valter Trisney Uôrlde pra galera?
Temos. Temos novas placas de sinalização, novos metais de banheiro, a Terra da Fghéra agora também é iluminada por lâmpadas de sódio, e trocamos as minhocas de lá, inclusive. Vem você tamb… digo… melhor não, ceda o seu lugar para as 740.000 pessoas que esdtão pensando em ir pra lá neste momento. E lembre-se do rodízio, hoje apenas RGs de finais 5 e 6!
E terminamos por aqui. Foi um privilégio estar com esta apaziguível presença, dono de desoxirribonucente aferventância, o álamo, exílimo e por que não dizer hepatográfico Valter da Silva Trisney III. Um recado final?
Bom, estamos aqui na São Bento Comic Sem, aqui no Anembí Pavillion of Expositions, até o dia 29, ingressos na porta a 2,50 e três paga 5, mulheres não pagam a partir das 5 da tarde e se disser que leu a entrevista no Cover do Povo ganha um hort-dog com maionegs.
Está dado o recado. Creysson Alcântara para a Salt Cover!

CÔ-CÓ! Cover na Copa! (E se trocar os acentos, leva tyro!)

14 jun

UÁÀAÀ! Beeeeem amigos da Salt Cover! Falamos ao vivo direto da ÁáÁáÁfrica do sal, sol, sul, Imcosul! Naaaaaaswâniaaa wawa badish babááá!... Sitkuuum, beira-mar… Canta, Arnaldo!
Beira-mar!
– Que bonito! E que frio, amigo! Na Fórmula 9 não tem nada disso… E a seleção, amigo, você sabe. Na hora agá, homem é homem, menino é menino, leopardo é leopardo, e girafa é girafa. Afinal, sem omelete, ninguém faz ovos! A seleção do, sempre ele, Zangad… digo,  Punga, o homem, o mito!  (E eu não aguento mais as reprises dos Caçadores de Mitos!) Fala, Punga!!!

– A seleção será treinada, e os gols se sucederão de forma lenta, segura e gradual! E quem não quiser, eu prendo e arrebento!

– Que beleza! E o que mais o Punga disse na coletiva, Mauro Espaçonaves?
– Bem, Galpão, o de sempre. Ele pigarreou 23 vezes, grunhiu 14, e por 8 vezes imitou a Marje Cípsom, além de ter matado 3 mutucas.
– Haaaaaaaja pâncreas, amigo! Cover na Copa, Agente(TANAM!) se vê por aquýýýý…

Transportes: Enfim a inauguração da Linha Amaгυla!

25 maio

O Retrô de São de Janeiro mais uma vez mostra servicço e segue cavando seus buracos de tatu, como dizem alguns políticos.
E amanhã, depois de uma longa espera de nove meses (com visitas regulares ao obstetra – ACABOOOOOU, é obstetraaaaa!!! ), será finalmente inaugurada em esquema de migué a Linha 4 – Amarula. A linha mais moderna da América Autolatina, para desespero da Estação Sem Maré, da Linha 2, que ostentou esse posto por alguns meses apenas.
“Foi uma das mais difíceis de serem feitas. Imagine a dificuldade que é fazer um 4 nesta situação, entende? Entendeu? Buts, te considero pra k#$%!”, diz Johan Cahannabrava, do Consórcio Primo Covas *clap, clap!*que é o responsável pelo logotipo diferente que aparece nas estações.

O migué reside no factum de que o trânsito só será liberado entre duas estações, uma aqui e outra lá, e em horário bancário. Mas eles juram de pé junto que, um dia, com essa linha vai dar até pra ir em estádio de futebol !
Como mostra o diagrama da linha completa, quatro dedos, on the rocks e com aquele guardachuvinha de papel crepom:

Os trens são modernos pra dedéu, com câmeras nos vagões (para equiparar os trens à novela Arco da Velha e ao Brig Bother Barril), e com interligação entre os vagões, possibilitando aquelas cenas de perseguição que se vêem nos filmes americanos. Uma novidade também é que eles não terão condutores. O pessoal já era antissocial pra caramba, nem dava bom dia pros passageiros, e agora eles nem vão sair da cent… peraí, mas como é que eles vão sair do lugar?!
“Os vagões são operados por controle remoto. Nossos condutores brincaram de Pherrorama por 5 anos antes de poderem assumir as composições de Beethoven, digo, da Linha 4. Entendeu? Buts, você é um grande amigo…” E já que não há condutores, o clima de impessoalidade é completado por mensagens gravadas na voz de Dirseu Sem Kabelo, a voz-padrão da Salt Cover: “Os assentos em cor azul são reservados à essa galerinha da pesada! Se liga, galera! Não segure as portas, isso causa muita confusão! O próximo trem não prestará serviços, é um choque o que vem por aí!”

A Linha Amarula recebeu esse nome para combinar com os das demais linhas, sem que se prejudique o sabor. O embarque deve ser realizado, preferencialmente, com gelo. O fato de que ainda não havia uma linha amarela na cidade também é uma hipótese (não confunda com aquela de carros, que os cariocas conhecem!)

O que os passageiros acham dessa nova inalgoracção da infraestrutura de transporte paulistófila? “Butz, sensacional. Agui na Cosolação eu sovria pagaramba pra chegar láááá na estação Crínicas, buitsso longe, bicho… Agora com essa estação aqui melmo vai ser cenasional, bicho! Pô, te considero bagaramba…” Os organizadores só pedem encarecidamente que as pessoas não esqueçam de pagar as passagens quando elas começarem a ser cobradas. Mas como as bebidas que eles tomam não costumam sair de gracça, eles estão rilécs.
Com imagens embaçadas e de visão dupla (deve ser esse tal de 3D), Pudim de Kchassa Júnior para a Çalt Kover! Hic!

Acaboooolll! A novela

15 maio

Que novela? Estamos falando de Morta de Fome, a sensacional novela escrita por Manual Carlos. Vejam os melhores jumentos! Dá o play, Maca!
Elena (Araís Tarujo) termina como lutadora de capoeira em Strete Fáighter IIIrd Stráike, com um visual muito diferente do qual começou a novela: de cabelos brancos. E sem Gressín 3000! Belo trabalho dos dublês. “De cabelos brancos, mas um pau de virar tripa! Afinal ela é… Morta de Fome!”, diz o locutor Dirceu Sem Cabelo (ué, o que ele tem a ver com isso aqui?)
Trereza (Lena Cabral) encontra Elena antes de uma luta e faz o “corta aqui”, ou o underline, vertical bar, underline, ou ainda o mini hang-loose para quem, segundo ela, deixou sua filha tendo algo em comum com o Supermém (e não é o fato de voar). Elena não tem outra saída a não ser o alívio de que já já vai passar os créditos e começar o Cover Repórter. E rápido, antes que ela termine o workshop que ela começa a tomar com Nasaré Tedesco (Henata Sorrar, em participação especial).
Lussiana Jimenes (Marine Oraes) estava tetrapplégica (isto é, tinha um AiFone, um AiPod, um AiPéde e um Finkipede na bolsa, quatro produtos da Ápple, usados por ela para escrever em seu Tumblr, “P#$%ra, Lussiana!”). Mas tudo muda quando ela se perde na cidade de São Paulo e vai parar naquele lugar onde gravam os programas do Canal 21. Após ser abraçada por um homem de chapéu que ela nunca viu antes, ela volta a andar, vira dona de 5 empresas, passa a ter uma casa mais bonita que a do Fagrundes da novela das 7, e termina grávida de trigêmeos de…
– Pois é. Migué (Mateus Lunando) fica surpreso ao descobrir que os bebês que Lussiana espera são de seu chefe, o dr. Gregory Hause. Em estado de choque, Migué acaba contraindo lupus. Seu irmão, Djalma Jorge, para cuidar dele, passa a ser enfermeiro e passa a ser assediado pelos Irmãos Uárner.
Dora a Exploradora (Antoniana Giovanelli) chega a um ponto em que tem que comprovar a parternidade de seu filho com Go, Diego Armando Maradona, Go (Luigi José Paz). E para tanto, vai ao consultório do Dr. Carlos Massa pedir um Inzame de BNH. O resultado… bem, como todos já viram mesmo, foi que o coral regido por Jorjão Calos Parintins cantou “Herzlichen Glückwunsch Papa!” (Parabéns pro Papai), BWV 171, de Beethozart, para entusiasmo da torcida do River Plate.
Rapa Ela (Clara Kastanho), a outra filha de Dora, termina a novela conseguindo o tão sonhado emprego no Estúdio Q do Projeca, o de apresentar o telejornal game-show Bom Dia Brasil e Companhia. “Pleystêchon! Pleystêchon-chon!”
– De resto, temos o usuel nas novelas de Manoal: Stefhany se casa com Alexandre Pato, mesmo ele sendo de outra casta. Vovó Mafalda aplaude, emocionada, a formatura de Garoto Juca. Maria Joaquina rende-se finalmente aos encantos de Cirilo. E Picapáu parte para uma longa viagem ao lado de Zeca Urublue. Goku e Chichi se casam na Nossa Senhora do Brasil.  Chun-Li fica a ver navios no Estaleiro Verolme. E Huguinho, Zezinho e Luizinho dão adeus à Supernnanny.
E dá-lhe cenas do Pão de Açúcar e do Corcovado ao som de bossa nova: “Quais quais quais quais… Pascarigudum, pascarigudum, pascarigudum! Não posso ficar…

Pois é, e esta foi Morta de Fome, a novela mais assistida do Brasil – sim, porquê no mesmo horário passa telejornal, desenho animado e reality show, e estes são muito mais assistidos, mas fica quieto…

Vendetaaaaa!!! Brazil mostra sua cara e retalha comercialmente os Estádios Zunidos

9 mar

OHH YEAHHH!! A Organizaçcão Mundial do Comércio e Bebércio, phormada por donos de mercearias e empórios, deu ganho de causa ao BraSil Sil Sil por causa de uns lances envolvendo fubvídios do governo ao pessoal que planta algodão nos EAUAU cantando “Swing low, sweet charriot”, “Go down, Moses”, “When the saints go marching in” e outras cançonetas populares de lá, com uns arranjos de estilo meio duvidoso, mas enfim. E como prêmio, o Brasil retalhará produtos norte-americânicos, como tecidos, que em vez daqueles rolão boniiito com 5 metros de largura, agora só podem vir em retalhos. Os fãs de calcças jeans como Leevis, Metanol, Sauári, Osmose e outras começam a ficar preocupados em trocá-las por marcas alternativas, como Lee Young, Samsung, SVA, AOC e outras.

Na verdade, isso é só o começo. Segundo o embaixador no campo de centeio, o chumbo será grosso. Entre as propróstatas do Brazil está a retaliação no campo da propriedade intelectuálica – a única que ainda não foi invadida pelo MST.
E já para chutar no meio das pernas  e dar o apito inicial da 3ª Guerra Mundial, a propróstata do governo é a nacionalização dos estúdios Valter Trisney Pictures, que passariam a ter Maurício Ricardo de Sousa como acionista majoritário. “As histórias em quadrinhos passarão a ser em português, com legendas em inglês”, diz o ministro da Fazenda, Téo Béquer. “E Valter Trisney Uôrlde passará a ser território brasileiro, assim como as embaixadas e porta-aviões, para o qual os turistas precisarão apresentar seus Passaportes da Alegria do Pleicenter. Além disso, Zicky Zira, Patso Rônald e Alfateta serão declarados patrimônio cultural brasileiro.”
Contatado pela nossa equips, o cartunista e bregaempresário está pulando de felicidade, mesmo que isso lhe cause algumas dores depois. Veeeeja! Quer dizer, ouça (desculpem, telespectadores, o embed do 4Shared não funciona na WordPress)

Já Paula Trisney (trineta de Valter Trisney) está preocupado com o futuro da empresa. “Por causa desse tal de Avatá, já estamos vendendo o almoço pra descolar a janta, e latindo pra economizar cachorro. Agora então, vix, viraremos uma fuleragem desgraçada.”

[Sério: Já já aquela ilustração que foi capa de uma revista nos anos 90, de um pintinho – no papel de Brasil – enfrentando uma águia aparece de novo por aí.]

Xows: Beioncê arrasa quarteirões e corações

8 fev

RUBENS EDWALD SÊNIOR
da Redação

Ontem, as 24h63 da noite, depois de uma longa espera, finalmente os fãs puderam gritar de felicidade (para desespero dos vizinhos do estádio, que queriam dormir), com a entrada no palco da cantora Beioncê Know What Love Iiiiiss, vulga Beioncê, batizada por causa da famosa marchinha de carnaval: “Ô Beioncê, Beioncê… Quero casar com você-ê… Entra na roda, morena pra ver…”
Ela entra e logo de cara canta seu principal sucesso em terras australopitecas: Ó, Desci com o Leite, que hipnotiza a plateia com sua extensa letra, um verdadeiro poema ao amor, escrito pelo brasileiro Chic Bwark. Logo em seguida ela engata Creme Em Nove, tema do programa Cusperpop, para delírio da apresentadora Prussiana De Menos, principalmente porquê a galera, por força do hábito, gritou “Boa noiteeee”, sem que a cantora entendesse. E por aí vai. Beioncê canta tudo e todos. Abaixo uma pequena listagem do playlist do show até este repórter dormir, lá pelas 4 da manhã:

Sensacional pleilist. Pena que dormimos pouco ontem e acabamos por não aguentar. Mas quem aguentou, não perdeu um só momento – talvez tenha empatado, devido à alguns vacilos do meio de campo. Enfim, Beioncê é Beioncê e vice-versa. Cantora, modelo, artista performática, mãe de família, pai exemplar, miss universo, mister universo, primeiro lugar no vestibular, campeã da Taça Libertadores, enfim, é essa aí a super mega hiper sala de star que está em terras lusitanas. Como diria Alecs Quidd, SEGA bem-vinda, BeioncêRubens Edwald Sênior para a Salt Cover! (Salt Cover? Existe isso ainda? Não tinha sido comprada pela Trisney?…)

Acorda aê, meu! Aqui é a Salt Cover dando a programação pra vocês aê

5 jan

Desculpem se o logo não é igual ao original, é esse Inkscape que não é tão versátil

GANEEEEIRO na Cover é mais maneiro! Vem aí a Minnie-Série na qual a gente aposta todas as nossas fichas, mesmo que você não curta o som! Dalva pra Ser outro Dia é a história surreal de Dalva de Oliveira Sobrinho, a brasileira precursora da música gospel americana e dos alarmes de carros, até sua trágica morte de “tsctsctsctsctsctsc” por causa da Parenta (Darcy Gonsalves). Um primor de produção (sabe aquela margarina que vende em latão de 12 litros? Pois é). E todo mundo cantando: “Dalva, comigo, como se Dalva na tribo…”

Vem aí também Tempos Hodiernos, a primeira novela escrita por Carlos Caplin. Quem diria, o cara é de cinema, detestava até ÁUDIO em cinema e agora tá escrevendo telenovelas, e de televisão? Pois é, os tempos wudaram! Nesta novela, protagonizada por Pedro Pial, cidadãos inocentes são vigiados por 345,8 câmeras, encaram diversas provas e tem que atender o Big Phone senão vão para o paredão, além disso… peraí, essa é a novela mesmo? Não é outra coisa não?

Y CRARO. Neste ano de 2010 (vinte e dez?), haveremos mais uma Copa del Mondo de Phutebor. Desta vez, na África do Sul, tchê! Desde já, nossos repórteres estão tentando chegar perto dos estádios, mas com essa segurança fica difícil… Narracção de Galpão Bueiro, João Cleber Machado, Ruiz Loberto, Sylvio Luís Ricardo, Luciano Não Vale, entre outros, comentários de George Cajuru (só na Cover ele continua trabalhando), Cracquinetto, Casagrande Senzala, Tatá Taravilha (da Turba do Titi) e muitos mais.
Todos juntos, vamos, pra frente Brasil, Brasil, torcendo pelo Écsa de 12 a zero em cima da Noruega na final, com golden goal olímpico de bicicleta de hRrRrRrRonário na prorrogação (o que fará Ronário jogar na Enefél em 2011!)
Dirseu Kabelo para a Salt Cover! Cover, a gente se lê por aqui.

Tevê Pama

18 nov

Okay, okay! Veeeeeeeeja! Cantorrra interrrnacional Shady Zurda faz uma lista incrrrrível de exigências para seus shows no Brrrasil!
(Narracção em offf) Pois é, Émerson Ayrton! Shady Zurda é conhecida em todo o mundo pelo seu incriível guarda-roupa (da Eviláine, aquele com 3 centímetros de espessura!) repleto de camisetas da Sulbafril (as mesmas da presidenciável Heloise Helen) e calças jeans da Zepa’s.  E por suas exigências, que sempre surpreendem.
Veja agora as exigências que ela fez para seus shows no Brasil ano que vem, onde ela mostra que… está em sintonia com os novos tempos!

  • 2 fardos de Cola-Coca e 1 de Cola Zero de 2 litros – ou Guaraná Antártida
  • 12 latas de Itaitava a serem geladas no isopor da produção
  • 50 copinhos de plástico de 200 ml
  • 100 coxinhas de frango com catupiri (mas se não tiver catupiri, tudo bem)
  • 50 kibes
  • 40 esfihas de carne e 40 de queijo, do Rabitt’s
  • 8 pastéis de palmito e 8 de calabresa
  • 2 barras de chocolate branco de 180 gramas
  • 1 televisor de 20 polegadas pra galera ver os clipes (a gente traz as fitas e o vídeo)
  • 1 cubo de guitarra de 5 polegadas, transistorizado (equalização com botão de Tone opcional), com 2 entradas
  • 2 microfones chineses com liga-desliga no corpo
  • 1 teclado da Fênix (o dela tá sem pilhas)
  • iluminação: 2 soquetes E40 e 2 lâmpadas mistas (a serem ligadas puxando do semáforo)
  • e por fim, 1 garrafa dessas de iogurte escrito “bebida láctea” pra nossa cantora perder alguns quilinhos antes de entrar no palco (*baseado em flatos reais*)

O produtor brasileiro só está preocupado com as barras de chocolate, item difícilimo de se achar por causa da nova Lei AntiChocolates do governo de São de Janeiro. “Mas o guarda-roupa dela já tem autorização gudissial para ser usado nos shows!” É com vocês!

Pápápá poker fêis! Como se vê, os artistas, aos poucos, começam a se adaptar aos novos tempos da indústria do etetrenimento. Okay, okay! Eu jumento, mas não cimento! Emerson Ayrton para a Salt Coverrrrrrrrrrr!!

Êêêêêê! Nampsons fazem festa party em Budapeste celebrando seus 16⅝ anos!

20 out

Budapeste parou e reclamou do trânsito para comemorar mais um aniversário dessa série que é como todas as outras, The Nampsons! Aí você me pergunta, mas como em Budapeste, se eles não são europeus? E nós respondemos, é pra escapar de la rrustícia e do EQAD.
E a galera grita “Boldog évfordulót, a Nampsons!”, um grito de guerra que contagia a todos, mesmo os que não falam húngaro.
Prendall Strowing, o autor da série, não poderia faltar. E mesmo dando mil desculpas, como a gripe suína, o tratado de Tordesilhas, o Foro de São Paulo, e até mesmo o sapinho (A1, disse um sapinho para mim), ele foi arrastado por sua produtora 18rd Centaury Wolf para Budapeste, onde foi reverenciado pelos nerds, os únicos na multidão que o reconheciam. “Sacanagem, meu! Sacanagem!”, dizia ele, sem notar que šakka nàgy era “reverencio-vos por vossa gentileza” em húngaro, o que só piorava sua situação.
A galera só largou Prendall quando os próprios Nampsons chegaram. Na verdade, quatro integrantes do Fórum Cospray Brazil e um anão do Cântico na TV no papel de Peggy, com roupas confeccionadas pelos campeões em concursos internacionais Thaís Yuri e Marcelo Aardvärk. Como eles são feras, ninguém notou nenhuma diferença.
“Hhhhhhhhhh”, berrava o público (em tradução livre, “êêêêêê”, em português)

Os Nampsons são recepcionados com festa party em Budapeste

Os Nampsons são recepcionados com festa party em Budapeste para celebrar seus seus 16⅝ anos.

Com tudo isso, procuramos Prendall Strowing no meio da multidão (caramba, nem entrevista coletiva tem nessa bagaça? Ê evento fuleragem!). “Estou com dor de cabeça, enjôo e jet lag (obrigado, Aeroflop), mas puts, estamos mó felizes, né, são 16 anos e pouquinho dessa série, que eu achava que iria durar uns 13 episódios. Ou 8, sei lá, como Pob, o PB Palante. Ou 3, como Super Vaca. Ou nem isso, como Tainy Tum vs. Animanianques. Enfim…”

Prendall aproveitou para responder à imprensa húngara as mesmas coisas que ele responde para todo mundo, um FAQ da série que ele já decorou faz tempo. “Penso que a gente deve se divertir do mesmo jeito que devemos comer, isto é, no Meck Dônalds…” “Os Nampsons foram criados em amigos meus que jogavam bola em Mogi das Cruzes.” “Na verdade, antes de serem dois lobos, os Nampsons eram dois patos com roupa de marinheiro, mas achei arrojado demais e preferi partir para algo mais tradicional.” “Sou são-paulino, no Rio torço pro América.” “Rainyday foi inspirado em um fila brasileiro que me mordeu quando eu tinha 16 anos porquê eu estava analisando as patas dele para aprender a desenhá-las, e adorei essa experiência, tanto é que eu fui mordido por mais dois cães depois”. Etc, etc, etc…

Os fãs, claro, estavam amando o evento, mesmo que estivessem a 40 metros de tudo, atrás da imprensa e de grades amarelas. “Meu, tô super feliz, cara, ainda mais porquê o Kenny D vai tocar agora o tema dos Nampsons, meu!!!”, gritava emocionado o estudante Luís Bossa. “Δλ, мό lεζαl, сαгα!”, dizia Epígrafis Apóstrophes, um dos vários fãs gregos da série. “Μμιτσ lσсσ εςςε ευεητσ, cαгα.” Uma caravana phrancesa também estava no local, pedindo encarecidamente para a série meter o PAL no presidente Ѕагсоzí, assim como fez com vários outros prestigiosos políticos internacionais, alguns até que perderam seus cargos, como o primeiro ministro Fernànd-Henry Cardose. “É uma possibilidade…”, disse Prendall Strowing ao notar o clamor da multidão, que lembrava o de sua própria cidade ficcional, com aqueles garfos de feno e tochas acesas, às vezes.

Então, é isso ái, parabéns aos Nampsons pelos seus 16⅝ anos. Que venham mais 16⅝ anos por aí!