Arquivo | Entre Vista RSS feed for this section

Etretenenimento: Estrevista cos Valter Trisney Nectum!!

22 jul

Valter Trisney III, atual sócio minoritário de Valter Trisney Indústria e Comércio Ltda., a popular "Trisney".

AAAAAHHH que beleza, amigo! Estamos aqui nos Estádios Runídos com o homem, o mítio, a lêndea viva, VAAAAAAalter Trisney III! O homem que transformou alergias em tristezas e pães doces em realidade!
– É, mais ou menos, eu só estou aqui porquê fui convidado para a São Bento Comic Sem! Senão por mim eu tava lá em casa.
Certo. Quantos anos?
– 84 anos bem vividos, graças à Deus, e desenhando desde os 5 anos, gracças ao meu saudoso pai, Valter Trisney Jr.
Os leitores não estão vendo, mas ele acabou de fazer um retrato meu com caneta Bic, muito bacana, seu Valter…
– O mesmo que todos dizem. 15 centavos, por gentileza…
Tsgrila, tô sem trocado, serve 1 dólar?
– Serve!
A pergunta que não quer calar: Zicky Zira existe? Ou é tudo obra do acaso?… rerere
– Ele não anda aparecendo muito ultimamente. Mas lembrem-se que ele mora no Japão, faz uns… 20 anos. Então, ele anda aparecendo bastante em programas japoneses. Afinal, eles não se esquecem do tempo em que ele passou lá sendo um animê.
Bacanas Records. A empresa de vocês é conhecida por fazer planos à longuíssimo prazo. Mesmo assim, quais são os planos de vocês?
– Muitos pedem e insistem para que haja mais de uma Valter Trisney Uôrlde. Mas gente, vocês não sabem como é difícil. Na construção da VTU foi usado material que daria para fazer 300 shopping centers, 20 estádios de futebol padrão PHIPHA e 70.000 casas populares (que são umas casas bonitas, simpáticas, que se vestem na última moda e cheias de amigas interesseiras quando vão à escola!) A construção de outro parque semelhante poderia por em risco as reservas de argila e pedras do planeta.
Bom, isso é algo que vocês não pretendem fazer, mas o que vocês pretendem fazer, então?
– Com certeza, os nossos filmes que espantam o mundo há 110 anos.
E quais são eles?
– Bom, não é nada que já não tenha aparecido naquele site Animagion-Animatic… É o nosso projeto em trêsdê, Zicky Vai te Catar, com uma história revolucionária, escrita por aquele brasileiro, Santiago Tiago. Olha o começo: e se uma nova tecnologia pudesse colocar você dentro do corpo de outra pessoa?…
Bem, depende. Controle de pessoas à distância é uma das habilidades da Força Sindical, o poder dos Jedáis
– Não, no caso deles eles viram tipo uma televisão interativa. Ele passa a controlá-lo completamente, entende? E as pessoas vão ver isso em dendê, digo, em tresdê. E vamo ajudá as criancinha, pô!

Paula S. Trisney, a herdeira do império: no que depender dela, a empresa já era...

É, Valter Trisney III calado é um poeta, mesmo porquê, só Valter Trisney Jr. se meteu a dublar alguns personagens. Mas vamos lá. Você já passou dos 80 e provavelmente já já será multado pela Polícia Rodoviária. E a sua filha, a Paulinha o que que eu fá-çúúúPaula Trisney, quedê ela?
– Justamente, ela está no Japão com a dona Sunoko Trisney, pra fazer uns cursos de reciclagem pofrissional. Já já ela tá de volta.
Mas aí que tá. O planejamento continua todo nas suas mãos… ela não irá assumir a empresa algum dia?
– Ela ainda está pegando o jeitão da coisa. Sabe, no século XIX, Valter Trisney, Sr. ensinou Valter Trisney Jr. a ser um empresário do ramo de entretenimento e comunicações desde os 8 anos, e este me ensinou desde os 4 anos… Infelizmente, a minha vida cismou de ser diferente, e pra contrariar, casei-me com uma seiyuú japonesa.
Say you, sem mim, say you for always, that’s the way it should be?
– Exato. E Paulinha é tão diferente de mim que muitos acham que ela é adotada, vê se pode. Vai escrever isso na manchete não, hein? E apesar de crescer rodeada dos melhores desenhistas que poderiam haver no universo (três deles eu peguei da equipe do Leonardo DA-20), aqueles que ganham três vezes mais só pra não ter conta no DéviantArte, ela não desenha lá muito bem não, sabe?… Então, assim fica complicado pra nós.
Mas o senhor…
Tem muitos filhos, muitos filhos Ele tem! Eu sou um deles, você também…
Sorry, my bad. Você até que está muito bem-ajambrado para 84 anos!
Bem, isso se deve à uns produtos que eu estou usando, como um tal de Foto Shopping, são usados por outros artistas por aí para parecerem mais jovens. Como o meu neto mais famoso, o Jâstin Bíber. E uma menina que trabalha com a gente que é o xodó de Paulinha, a Rana Montanha, filha da inesquecível Rana Barbéra.

Fã tira foto com Valter Trisney III na São Bento Comic-Sem: "Com 20 dessas consigo uma da Mulher Flatulência", diz ele.

E até quando você pensa que irá viver?
Mas até parece que tu não conheces nossa família? Valter Sr. morreu aos 105 anos, Valter Jr. aos 103. O fato de eu almoçar e jantar no Mech Rônalds, aproveitando-se do patrocínio vitalício que eles dão à mim e à Zicky Zira não influi em absolutamente nada. E o patriarca Virsom Trisney, pai de Valter Sr.,morreu aos 139 anos. O epitáfio dele: “EGO CONTEEEEEEEEEEMNO BETAS” – em português, “eu odeeeeeeeeeeeeio beterrabas”. Pois é…
Ok. Voltando aos assuntos agradáveis (pelo menos enquanto não mencionarmos os preços), tem alguma novidade vindo aí em Valter Trisney Uôrlde pra galera?
Temos. Temos novas placas de sinalização, novos metais de banheiro, a Terra da Fghéra agora também é iluminada por lâmpadas de sódio, e trocamos as minhocas de lá, inclusive. Vem você tamb… digo… melhor não, ceda o seu lugar para as 740.000 pessoas que esdtão pensando em ir pra lá neste momento. E lembre-se do rodízio, hoje apenas RGs de finais 5 e 6!
E terminamos por aqui. Foi um privilégio estar com esta apaziguível presença, dono de desoxirribonucente aferventância, o álamo, exílimo e por que não dizer hepatográfico Valter da Silva Trisney III. Um recado final?
Bom, estamos aqui na São Bento Comic Sem, aqui no Anembí Pavillion of Expositions, até o dia 29, ingressos na porta a 2,50 e três paga 5, mulheres não pagam a partir das 5 da tarde e se disser que leu a entrevista no Cover do Povo ganha um hort-dog com maionegs.
Está dado o recado. Creysson Alcântara para a Salt Cover!

Anúncios

ESCRUSÍVEL! Entre Vista com Barraco OdaraObama!

5 nov

Bem amigos da Salt Coverrrr, estamos aqui, no limite extremo da nossa alegria. Vamos entrevistar, em Primeiramão, os melhores classificados nas bancas, o novo, o novo, o NOOOVO presidente dos Estados Unidos da América. Como dizem os americanos, “God Bless the Queen”! Boa noite, Barraco!
– Boa noite, Galvão, você de casa…
– Barraco, como foi mmmmais esta vitória?
– Foi uma vitória vitoriosa. Nunca antes na história deste país, o povo votou com tanta consciência, votou com o coração no bico da caneta. Parabéns, povo americano. Vamos juntos. Vamos em frente!
– Faça a sua festa, torcida americana! Barraco, e os projetos sociais?
– Com certeza, Estados Unidos. Vamos implementar o Purse Family, onde cada família vai ter um alforje onde guardar seus pertences, também vamos fazer o Zero Hunger, onde qualquer um que tiver fome, mostra a carteirinha no Mec Duënalds ou no Burger President e paga no final do mês em qualquer agência do Banco dos Estados Unidos, ou da Federal Economic Box. E também, gente, tem o Growth Acceleration Plan, o PAC, que é aquela bolinha que come outras bolinhas menores para poder comer os fantasmas no labirinto.
– Haaaaja coração, amigo! E o desemprego?
– Poisé, Galpão, aí já é uma questão mais complicada… Mas, agora eu já posso falar do nosso outro projeto, o FPTCE, uma sigla complicada que em português é Plano de Fomento ao Emprego de Terceira Classe. É uma série de incentivos fiscais para, meu amigo, minha amiga, incentivar o emprego de terceira classe entre americanos. Isso mesmo, você, que nasceu aqui neste país e sempre curtiu isso pra tira uma com a cara daquele pessoal dos outros países que vai na Trisneylând, você que pára tudo no dia 4 de julho, que come torta de maçã, hamburger e batatas fritas, agora vai ter o privilégio de estufar bonequinho da Trisney, pintar brinquedinho do Mec Lanche Feliz, colar e costurar tênis da Mike, para que, no final, você possa desfrutar de mais produtos onde possamos escrevaer: Meide in iúessêi! Pra quê, gente, pra quê dar a chance daqueles vietnamitas, indianos, chineses e taiwaneses, de fazerem um trabalho ροгсо e não escreverem o nome do nosso país na etiquetinha, e vender tudo aqui pra nós de novo? Vamos lá, gente, com muito trabalho, reerguer esta nação, e se cada um fizer a sua parte, empregos não hão de faltar!
– Seeensacional, amigo! Haaaaja coração! E o Brrrasil, Barraco?
– Brasil?
– É, aquele país, lá na América do Sul, que tinha um presidente que não precisava de intérprete, aí depois veio um barbudo??
– Deixa ver… Lambada! E… como que chama aqueles parquinho de diversão que tem lá na roça, é… Carnival! Carnival, isso! Ê, muita gente gosta do carnival.
– O Brasil te ama, Barraco! Manda um hrrrrecado pro Brasil!
– Bom, hã… Muito obrigado a todos vocês, esperamos em breve voc… quer dizer, continuem aí mesmo, e, pellamordeDeus, comprem mais CDs! Muito obrigado.
Ok. E pra você que está nos EUA, não percam, semana que vem, na NBS, segunda-cesta as 7 da manhã, o Xou da Xara Palin! E agooora, presidente… Eu quero ouvirrrr… o som do Olo Doom!!! Ficamos por aqui. Coverr e você, naaaaaada a ver! Dança, presidente!
– *Ô ôô oô… mariá laiô… Obama, obama, obama…*

ENCRÉVEL: Pelipe Passa, o piloto que conseguiu ganhar e perder ao mesmo tempo!

3 nov

O esporte na Cover está agitado neste final de ano! E a última foi o JP do Brasilsilsil, realizado em Interlagosagosagos, no qual Pelipe Passa conseguiu a incrível façanha de ganhar e perder ao mesmo tempo!
– “É, é vedade, Didi, huuuhuhuhuhu… Ifelizmente nem sempre as coisas acontecem como a Perrari imagina. Cheguei em pribeiro, mas fiquei em segudo, HÚÚaHUHUHUhuhuh…”
A vitória foi de Luiz Hamilton, que acumulou muitos pontos em seu cartão de milhagem e tornou-se uma das grandes revelações da Phórmula 1!
– “Há! Ganheizis! É verdads, ‘scrusive graças ao talents da minha equips, do motorzis, e de toda a torcids-  valeu, Vesguis, valeu, Rafinhis, há! – conseguimos ganhar o campeonatis, e eu queria scrusive parabenizarzis a Pertobrás pelo fornecimento do mé, digo, da gasolinis, é issaí. Grafýnhis!
Hamilton, após subir de colocação na tabela, caiu no samba, em uma festa que não tem hora pra acabar.

Muitos torcedores atribuíram ao alemão Timu Taurus a vitória de Luiz Hamilton. Ele se defende:
– “Pohents, não tive culpa, o meu carra é inferrior, não é por eu serr alemáo que o meu carra é tão báo quanto o da Xumáquerr! Magina o situaçáo: focê está no Finte e Trrês de Maia, ou no Afenida Prassíl parra os carriôcas. E focê está num Fiêsta um ponto zérra a 70 por hôrra, e fen un carra com tuda, acelerranda no terceirra marcha em um Opalán, daqueles Diplomata dois ponto zerra. O que que focê faz? Dá pra ficarr no frrente sem cairr os calotas dos penels??? Não dá, cerrta? E mais, o carra da minha papai erra um Trabant, que é um pouca mais rápida que o Fiêsta…”

Pelipe Passa, pelo menos, ganhou o troféu desenhado por Guerrinha Niemáier, e entregado pelo prefeito Jassab (que só tirou a plaquinha da frente do troféu, por ferir a Lei Cidade Cimpa).
– “Uhhh Didi, mas que nada, ainda se fosse desenhado pela Jen Seng, pelo Herbie Bearclaw, pelo Tracy Lee, pelo Felipe Marcantônio… Húúúahuhuhuhuhua…”
E, a propósito, Didi é a sua mãe. Barcelo Marreto, para a Salt Cover!

Perfil: Boni Tyler, o Bonão

5 ago

Nome: José Boneyfácio Tyler Tio, Superintendente de Operações da Televisão Salt Cover dos Santos.
Idade: Está demitido!
Brincadeirinha! Quando você começou a trabalhar com televisão? Fui cabo-man da, se não me engano, câmera 3 que mostrou a invasão das tropas aliadas na Normandia, uma brilhante transmissão com narração do saudoso Calvin de Andrade!
Como você se tornou diretor? Pois é, passei pela operação de câmera e iluminação. Depois eu passei a ser operador de switcher, e dei uma sorte desgraçada, de ser selecionado para o Show do Tim, com Tim Maya, e ele próprio dirigia o programa. Aí, teve uma das muitas vezes em que ele não apareceu, e eu acabei assumindo a direção. Mas eu não me considero diretor, diretores há melhores do que eu.
Qual foi o primeiro programa de TV criado por você que foi pro ar? Muitos não sabem, mas foi o Trisney-Lândia. Valter Trisney Jr. detestava televisão, eu o convenci a migrar para essa mídia. Foi o primeiro programa de TV deles em todo o mundo e até hoje é considerado um dos melhores, por causa das fantasias dos personagens, feitas pelo Cordovil.
Uma história ferrada de curiosa, daquelas que ninguém sabe. O Aloprando, aquele programa que tem uma roleta e um painel, foi inspirado na minha bicicleta, quando eu troquei o pneu de trás. Vai dizer que não parece?…
É verdade que você que inventou alguns dos títulos de novelas? Sim! Está aí o grande sucesso das 19 horas (Em Brasília, 19 horas, tam tamm tananam tammm…) Um Porco a Mais. Todo o Brasil, exceto a colônia judaica, canta aquela música até hoje (“Que pra vocês/ Um porco a mais não faz mal…”)
Você tem projetos? Ix, vários. Se a Recorte não pular na frente, queremos fazer a primeira novela espacial, com extraterrestres e tudo o mais.
Mas já não tem alguma coisa assim, passando por aí? Não… Extraterrestres são mais legais, tem poderes esquisitos, não se pautam pelas leis da física, vai ser legal bagará. Outro projeto que eu estou tocando pessoalmente é uma novela protagonizada por músicos de verdade, que cantarão músicas de verdade e venderão discos de verdade!! E depois falam que aquele videogame Guitarreiro é a salvação da indústria pho(r)nográphica! Esperem e verão! E estamos negociando com o Mauríssel da Silva pra gente fazer a primeira novela onde todo mundo já conhece os personagens de cor, a novela Turma da Wônica, com Marjori Aqueleano como Wônica e Cérjo Rôndiacoff como Sebolinha! Essa vai ser um marco na história da TV!
Como a Salt Cover está se preparando para a TV de alta definição? Não há que ter pressa, rapaz. Já temos câmeras de alta definição: as TKs de 3 tubos Plumbicon! É só ligar elas direito, sem dB, com sinal componente YUV, e fica uma maravilha de definição…
Encerrando, um recado para os seus telespectouvintes. Viva a televisão brasileira! A televisão é a televisão, porquê… hã… porquê senão, ela seria um três-em-um! E lembre-se: desligue a televisão e vá ler um livro, mas se for Erre Póter ou Saulo Koelho, volte a ligar a televisão! Obrigated.
Obrigado pela entrevista. Danilo Hood, para o Qaiga Cien Qustar!

Cover Repórter: A incrével hestuéria de Ruán Sebastián

29 jul

Há cerca de 25 anos atrás, o empresário Ruán Sebástian de Rresús Lopes, 58, não conseguia dormir. “Ouvia muitos ruídos, picaretas, furadeiras, que só poderiam vir debaixo de mim. É como se estivessem escavando algo. Mas o quê? O que poderia ser esse algo? Talvez um templo desconhecido de uma sociedade secreta formada por anônimos invisíveis?… Não, senão não fazia aquela barulheira do caramba. Era algo mais… Concreto!!”
O que a suposta sociedade não poderia imaginar era que Ruán Sebastián era dono de uma empresa de perfuração de poços artesianos.
“Eu tinha certeza que o lençol freático estava abaixo de onde vinham os ruídos. Já tentei escavar um poço aqui em casa, mas, sacumé, casa de ferreiro, espeto de pau. A broca não chegou no lençol freático, e se eu quisesse conseguir, teria que tirar outra, mais longa. de uma obra que eu estava fazendo, então, deixei pra lá.
Então, certo dia eu peguei todos os meus equipamentos e coloquei dentro do meu quarto. Afinal, eu já não gostava mais daquele piso de madeira velha. E comecei a perfurar, embaixo de onde estava a minha cama.”
“Me recordava perfeitamente da argila que saía pela broca. Mas quando comecei a dar com uma camada de concreto, foi quase como se tivesse saído petróleo. Era a prova que ïo no stava pazzo, como gritava o meu vizinho… E de repente, POF!! Saiu um vento como se eu tivese tirado a rolha de um vinho… Quer dizer, vinho não tem aquele cheiro horrendo, mas enfim…”
“Parecia que havia um vazio de uns 10 metros de altura abaixo do solo. A essa altura do campeonato, toda a família estava nessa, e nem comemorou o penta do Brasil naquela época. Nós só queríamos saber o que era aquela coisa embaixo de nós…”
“Então o Juninho ‘Subnutrido’, meu sobrinho de 7 anos, resolveu entrar. Como o pai dele era alpinista, eles concordaram. Só me passou na hora um arrepio, como se pudesse acontecer alguma infecção por causa do ar parado, semelhante a ‘maldição das pirâmides’. Mas o ar estava circulando lá dentro. E eu disse: Juninho, liga o flash e manda ver!”
(continua…)

Gabriel Gantas é solto pela 2680425788349013ª vez (e contando)

12 jul

O bregaempresário Gabriel Gantas, da OIBR, mais uma vez, é solto pelo poder Judiciativo. E aceitou trocar umas idéia aê com a nossa pseudoreportagem:
“Oi, digo, OIBR… Rapaz, como cês aguentam ficar vendo isso? Cês não cansam, não?…”
“Já estou acostumado. Quer dizer, até a 30.3457ª vez… Já sei de cor os nomes dos avôs e avós paternos e maternos de cada um dos seguranças do prédio, e o pessoal já reconhece a minha voz no telefone.”
“Tá legal. Estou um pouco cansado disso. Só queria ficar mais de 2 horas em um lugar só… nem que seja aqui mesmo. É bom aqui. É como um dos quartos mais baratos do Conrado, de Purta del Oeste. Tem couvert com pão de queijo.”
“Eu tenho família, rapaz. Eles também estão apreensivos. Bom, nem tanto… Ah, sei lá. A galera até tá me zoando: aquele ali me falou: ‘Até a próxima, sr. Gantas!’ Fala sério!”
“E o pesoal daqui é legal. Inclusive eu estou levando pra minha sobrinha, que ela pediu, uma carteira que o pessoal usa daqui, aquelas, de couro, com o logo da corporação, pra ela brincar de polícia e bandido.”
“Ah, o Jaca Paládium Wendells? Aí… Sabe aquele ditado popular, ‘não zoe quem paga a tua conta na churrascaria’? Pois é, meu filho. Jaca IS THE GUY. É por causa de J. P. Wendells que Châck Nórris bate em todo mundo e não é preso! Pensou que era só por causa dele próprio, mané?”
“Estou tranquilo, não tem por quê não estar.”
“Se J.P. Wendells trabalhasse na União Européia, os times liberariam o Kakå, o Sonaldinho Maluco, o Jagner Love, o Etô, o Chevchênco e o Materazzi pra jogar na seleção! Ah, e o Puscas!”
Daqui a pouco tem mais. Neston Morais Geneto, para a Salt Cover!

Perfil: Jean-Pierre Van Dallis

7 jun

Cartunista francês, está no Brasil esta semana para a Comic Quieto, convenção que reúne fãs de comediantes em Belo Horizonte. É criador de gansos e da série Tim & Tom.
Nome: Jean-Pierre dans Chëvrôlet Astra 2.0 Quatroportas Corbusier Alfonse Marine Waline Maurice dù Sousa Van Dallis.
Idade: Medida de tempo pela qual determina-se a duração da vida dos seres vivos. Hé, hé, eu sou… Ô Geràrd, o que significa “bestiêl” em francês?!
Como você começou: Minha mãe estava feliz pelo fim da Segunda Guerra Mundial, e me deu de presente uma caixa de lápis de cera. Nunca vi ela com aquela cara de felicidade, e resolvi fazer um retrato dela. Ela desmaiou, e depois que acordou, passou a fazer sessões de psiquiatria. Hoje, ela tem mais de 90 anos e está bem, embora tenha voltado pra psiquiatria depois de conhecer o site Toonapalooza. Mas então, aos 6 anos, graças ao prefeito da minha cidade, tive a chance de fazer uma das tiras do Le Figaro, depois do Le Monde, e assim foi indo.
Como nasceram Tim & Tom: Muitos não acreditam, nem no meu país, nem em lugar nenhum, mas foi Deus que me deu esses personagens. Eu sonhei com eles, com suas cores, com seus nomes, transferi para o papel e só registrei na Biblioteca Nacional depois de ter outro sonho me pedindo para fazer isso, porquê um certo Làhert estava querendo copiá-los em uma nação distante. Enfim, eu mesmo não poderia ter criado coisa semelhante.
Um ídolo: Como francês, não idolatro ninguém, eu me garanto… Zoei. Sou fã número 1 de Valter Trisney III, a quem tive o privilégio de conhecer pessoalmente. Também conheci um tal de Pablo Pikasso, o “Rei do Karaokê”, lá na Espanha, o rapaz até que desenha bem, só precisava de um roteirista.
Um sonho: Meu, o mesmo de Piky e Sérebro, cara.
Um livro: Sugiro um grande clássico da literatura, “Noções de Anatomia para Antropomórficos”, de Wes Study, editora Valter Forster e Vida Alves. Tem no mercado negro.
Um filme: Tim & Tom contra os Golfinhos do Espaço, com certeza! Tomou nota zero da Cahiers dú Cinema, mas que adianta, eles não entendem nada desses troços!
Uma árvore: Como?
Um filho: Três. Que me deram mais três. Que raiva. Tudo igualzinho um ao outro. Queria que um deles fosse japonês, pelo menos. Ou afro-descendente. Ô família sem criatividade!
Um conselho para quem quiser iniciar nessa carreira: É como diz aquele clássico da canção francesa: “Bate, bate, bate coração/ Não ligue, deixe quem quiser falar/ Porquê o que se leva dessa vida, coração/ É o amor que a gente tem pra dar!”
Sua vida em uma palavra ou menos: A vida é o dom de viver, de poder piscar os olhos, de andar ou até mesmo se arrastar por aí e chegar ao ponto de partida sem precisar de pilhas, baterias nem controle remoto. A vida é andar, é correr, por si mesmo ou em cima da moto. A vida é preferir, é preterir, é gostar de um, não gostar de outro, mas com respeito, sem ranger os dentes nem machucar os concorrentes. A vida é subir, descer escada, de dia ou de madrugada. A vida é quebrar o tédio, porquê não subir pela fachada do prédio? É lua, é sol, é curtir um jogo de futebol. É dormir, é acordar, é o dom de receber e de dar. É dançar, é aprender, um ano a mais ou a menos é só um número, que diferença faz? Sou eu, é você, é um Pânico na TV. A gente vai e aguenta, sabendo que o futuro há de ser um eterno anos 80. É superar o que se fez, é curtir mp3, sem medo de ser feliz, é tudo isso enfim, e ninguém lá dos EUA vai tirar isso de mim.
– Obrigado pela entrevista, sdif… Com tradução de Martelo Gastalde e Gracinha Júnior, Danilo Hood, para o Caiga Quien Custar.
– Valeu, agora entrevista esse tal de Tarcísio que tá me amolando o tempo inteiro aqui atrás querendo falar com vocês!

Perfil: Milêidy Roy Cirrus… ou Ana Montanha

28 abr

Mileidy Roy Cirrus é uma das artistas mais especiais e sui generis de todos os tempos. Um exemplo e uma lição de vida! Há 2 anos, é a primeira cantora esquizofrênica do mundo, adotando dois nomes: o de batismo e o de Ana Montanha, seu elter-ago, ou olger-alto, alguma coisa assim, que você tenta, após um esforço sobre-humano, curtir aos finais de semana, na tela da Cover!
Nome: Hã… deixa eu ver… Ana Montanha, eu acho.
Idade: 12 ou 13 anos, por aí.
Telefone: Três nov… A-hááá! Tô prestando atenção, viu?
Peso: 357 qui… Não, não, esquece o que eu falei! (tenta tomar o gravador do repórter, sem sucesso)
Você ama: Milêydy Roy Cirrus, claro! Ela é demais!
Você odeia: Milêidy Roy Cirrus, claro! Ela é uma falsa, ridícula!!
Se você pudesse ser outra pessoa, quem seria? Ana Montanha, uma pessoa comum e normal.
Quem é você? Não sei, não sei, NÃO SEI !!! Brlrlrlll!! E você, quem é?!
Onde você estava na noite do crime? Peraí, aqui a esquizofrênica sou eu!!
Hοw mаηy rоаdѕ mцѕt а mап шaІк dοшп before you caII hιm а мaп?! Sei lá, não sou o pai do Supra!!
Obrigado pela entrevista. Danilo Hood, ou Peter Parco, para o Caiga Quien Custar!!! Ou o Cântico na TV! Ou quem sabe os Tapralhões? Homessa!!