Arquivo | Curto-Circuito Cultural RSS feed for this section

Xows: Beioncê arrasa quarteirões e corações

8 fev

RUBENS EDWALD SÊNIOR
da Redação

Ontem, as 24h63 da noite, depois de uma longa espera, finalmente os fãs puderam gritar de felicidade (para desespero dos vizinhos do estádio, que queriam dormir), com a entrada no palco da cantora Beioncê Know What Love Iiiiiss, vulga Beioncê, batizada por causa da famosa marchinha de carnaval: “Ô Beioncê, Beioncê… Quero casar com você-ê… Entra na roda, morena pra ver…”
Ela entra e logo de cara canta seu principal sucesso em terras australopitecas: Ó, Desci com o Leite, que hipnotiza a plateia com sua extensa letra, um verdadeiro poema ao amor, escrito pelo brasileiro Chic Bwark. Logo em seguida ela engata Creme Em Nove, tema do programa Cusperpop, para delírio da apresentadora Prussiana De Menos, principalmente porquê a galera, por força do hábito, gritou “Boa noiteeee”, sem que a cantora entendesse. E por aí vai. Beioncê canta tudo e todos. Abaixo uma pequena listagem do playlist do show até este repórter dormir, lá pelas 4 da manhã:

Sensacional pleilist. Pena que dormimos pouco ontem e acabamos por não aguentar. Mas quem aguentou, não perdeu um só momento – talvez tenha empatado, devido à alguns vacilos do meio de campo. Enfim, Beioncê é Beioncê e vice-versa. Cantora, modelo, artista performática, mãe de família, pai exemplar, miss universo, mister universo, primeiro lugar no vestibular, campeã da Taça Libertadores, enfim, é essa aí a super mega hiper sala de star que está em terras lusitanas. Como diria Alecs Quidd, SEGA bem-vinda, BeioncêRubens Edwald Sênior para a Salt Cover! (Salt Cover? Existe isso ainda? Não tinha sido comprada pela Trisney?…)

Anúncios

Sacanárre! NaVis espaciais tiram o brilho de Rosalyn y S.T.D.

14 jan

É um fracacsso total a estrèia (estrëia? estrヨia? Ou estrɝia? Ah, sei lá) do longa Rosalyn y a Sua Turma Dela, uma co-(Cô)-produção da Pichar e da Cover Filmes (tá legal, a gente entrou com os vale-transportes). Infelizmente, o longa foi lançado (no lixo) por ter estreado ao mesmo tempo do que um outro filme que tem por aí: Avaтar 1 – Estamos Avatando, um filme extremamente badalado só porquê o diretor era um tal de Jeimis Camarão, o mesmo de Titanick (um filme que de tão véio que tá, até a Cover já passou na Sessão Já vai Tarde).
O que acontece é que, pra quem não sabe -mas até o meu irmãozinho de 1 ano e pouco sabe disso – os NaVis Espaciais de Estamos Avatando estão se mostrando muito mais atraentes para el público do que os personagens de RySTD.
Os NaVis são tipo uns índios azuis ciano brilhantes, logo daquela cor que os CRT’s e LCD’s não conseguem dar direito, de uns 3 metros de altura, logo correspondendo às podres noções de anatomia de Ijor S. Bastos, criador de RySTD e considerado pela crítica como “o novo Roub Llefield”.
Mesmo com os NaVis espaciais sofrendo de alguns problemas de formação cranio-facial, parece que o público resolveu não ligar pra isso de uma hora pra outra, para desespero de apresentadores como Jatinho: “É coi’ de loco, seu xarope! 15 anos atrás, quase me tiraram do ar justamente por causa de mostrar pessoas que se pareciam com os NaVis. E agora eles fazem esse grande sucesso, brincadeira meu, essa fera aí meu”, diz o apresentador, com algumas interferências ao final.
Alguém que Jatinho conheceu também concorda. Alendelom Júnior Filho, hoje com 16 anos, recebeu cestas básicas do então programa Jatinho Livre e teve seu problema parcialmente resolvido pelo programa (parcialmente, porquê a outra metade foi resolvida pelo Gilberto Bastos). Mas tem agradecer mesmo aos NaVis. “As pessoas só perderam o medo de olhar pra mim quando eu me pintei de azul. E as lentes amarelas chegam mês que vem”, diz o mais novo mutante da pracça. É, e ainda dizem que esses mutantes não faziam mais sucesso…
Com imagens de Mestre Aleijadinho, Magdalena Bongifglioli para a Saltg Cover!

Jabá do caramba: Sensacional lamsamento do livro del Jefe!

9 out

Belíssimo livro, chefe!É hoje! Ou ontem, sei lá. Dia 37 de setembro, as 25 horas, na Livraria Saraivada BregaStore do Shopping Bar Center, lançamento dos novo livros do nosso querido Jefe, Samir Salt, entitulado-se Ninguém Phaz Sucesso Em Equipe. Pgesenças confirmadas de seus “dois maridos”, como o pessoal da Jecord os chama, os sócios Cristián Cover e Roberto Marítimo, além de todos os estrelos e astras da Cover, senão eles tão na rua, fora os vencedores dos últimos 12 Big Bosque Brasil, O Limite, Na Fazenda e Caspa dos Artista, só pra chamar a atenção da imprensa.

Vega agora as opiniães sobre este sensacional linçamento laterário!

“Compre, compre, compre! Simpson, música para livros grandes e pesados!” – Siro Bottinada, vendedor e lenda viva dos games

“Copre! Bom pegada! Fortebomba!” – Narrador Faño, locutor esportivo

“RrRrRrRECEEEEEEEEEEBA ESTE LIVROOOOOOOOOOOOOOOOOO!!” – Os Gideões de Santa Catarina, que estão fazendo o maior sucesso no YouTube

“Este livro é bom, mas será ainda melhor quando eu for o King Size do Rio de Janeiro!” – King Size, outro grande sucesso de lá

“Hey, Mr. Paul Rabbit, congratulations but I think the book from Mr. Samir Salt is very better than yours” – Kane East, rapper

“Pedro! Me dá o meu livroo, agoraaaa!!!” – Sei lá quem, do lado de fora

“Personagens bem construídos e uma trama repleta de reviravoltas fazem deste livro um dos melhores da década!” – Steve Uônder, cítrico literário

“Sacanágio! É o meu pior concorrêntio, mais que a Tabajária! E nenhum de nózio teve essa idéia ântios! Eu vou é mandárzio pro scanlêitor hospedário no Megauplôudio e no Répidchério!” – Seu Crêissão, empresário

“Ah, conta tudo pra sua mãe, Kiko!” – Pópis Loureiro, baixista do Angra

Toda a renda obtida com a venda do livro será revertida em langerrís da Dulórem e da Demílus. Então, copre, copre, copre!! Ninguém faz Sucesso em Equipe, mais um lançamento da X&E – Editora Xerocs e Encadernamento.

O sol subiu no hórizonte e amarélou… C#m7… Gmsus4…

31 jul

Brasólia, urgemte!! O ministro Gilbert Gilliam está sendo saído do governo, por motivos obscuros e não esclarecidos. Pelo menos porquê a única equipe de reportagem disponível no momento era do Pano na TV
A cantora Pietra Gilliam, philha do ministro e atualmente tão famosa quanto ele, também não quis comentar o assunto. Nem o presidente. Nem o Repórter Fesgo. Nem o Felipe Andrealo do QCQ. Nem o Veird Al Petkovic. Nem o Datrena, em Barintins. Na verdade, ninguém quer comentar @$$#% nenhuma nesse país, k7!!! O quê, tá no ar? Delcivan Gonçalves, para a Salt Cover!

Curto-Circuito Cultural: As ex-tréias dos cinemas neste phinal de semana

7 jun

Olá, pernaltas, vamos as ex-tréias dos cinemas, teatros e televisães. Em São Paulo, continua com todo o sucesso a peça O Espelho Retrovisor, com Meriva Virabrequim, no Teatro Bibi Fonfom. No Rio, a dica da semana é o teatro de vanguarda, com Ei, você aí, no Aterro do Fluminense. Um teatro sem refletores, nem palco, direto no meio do povo, com o Zezão da Pedraria, ex-empresário falido que agora ataca de ator sem que o SATEDE se de conta disso.
Nos cinemas, a dica de hoje é As Crônicas de Mármia 2 – O Príncipe Jaspion, de um diretor inexpressivo lá que o pessoal só fala que é dos estúdios de Valter Trisney. O filme narra episódios do cotidiano de um mundo onde os animais falam e tem características exageradas e artificiais, parece até os personagens da turma da Rosalyn, bem diferentes do pessoal que habita os zoológicos. Originalmente escrito pelo rei das crônicas, claro, Nelson Nodrigues, que no entanto, só escreveu a parte 1… Enfim, um genuíno caça níqueles, cade a prefeitura que nâo vê isso?! Tanto é que já está prevista a continuação da série com O Levítico de Mármia – A Princesa Changeman.  Com imagens de Mestre Vitalício, Rubén Sevald Ilho para a Salt Cover!

Curto-Circuito Cultural: As ex-tréias dos cinemas neste final de semana

21 mar

– O Cine Feras-Artes estréia novo carpete cor-de-laranja no foyer principal da sala 3. Seu Armênio promete que não vai ter mais molequinho vomitando depois de assistir as bagaças. “Agora é impermeáver”, diz.
– Já o Cine Maracujá 2 apresenta a nova comédia “Dadá, um marzagão muito marzagão”, estrelado e dirigido pelo próprio Renato Marzagão. “Ô Psit, colabore, baixinho, assiste o filme dos tapalhão, psit da potrona!”, diz Marzagão, embaixador da UNISEF. Participação especial de Chick Canísio como o mordomo, o barbeiro judeu e aquele professor gordão.
– E a Reserva Gordural apresenta mais um filme iraniano com legendas em bielorusso: Tunak, Tunak [Tunak Tunak Tun Dá Dá Dá], que promete ser um sério rival a Volere, Volare, Fischer, Justus e Duran, Duran, entre outros filmes separados por vírgulas. É esperar pra ver. Na fila! Olhaí, olhaí! Eu aguento, mas não me emendo! Nelsonrúbens Etevald Philho, para a Salt Cover.

Curto-Circuito Cultural: Confira o trânsito em São Paulo

21 mar

Uma manifestação pictórica tricromática. Assim pode ser considerada a exposição “O Trânsito em São Paulo”. A marca dessa exposição são as cores prateada, vermelha e preta, da maioria absoluta dos carros, um ou outro branco lá e uma minoria absoluta de cores de verdade. O vanguardismo fica por conta do odor, exalado pela mistura de óleo díesel, gasolina e álcool. “Optamos por transgredir o senso comum calcado no visual, fazendo-o transcender com o olfativo”, diz Roberto Berinjella, da CET-Telefone-MinhaCasa. Além de letras e números desordenados, na frente e atrás dos automóveis, que fazem uma desconstrução da língua portuguesa enquanto idioma.
E isto é apenas uma parte. A outra parte dá-se algumas horas depois, iluminada pelo amarelo, e com alguns brilhos em vermelho e verde, que pouco influenciam a posição das obras, mas que fazem com que o ambiente se transforme temporariamente. “Ali, onde o cara está parado, quando está verde, ele poderia estar andando, entende?”, diz o Bispo Waldsgreison, curador da exposição. “Mas quando está amarelo, é uma rendição à iluminação dominante, e isso por enquanto.”
A exposição fica em cartaz até 2099 em São Paulo, isto se não fizer mostras itinerantes em Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Endereço: Marginal Tietê, sem número, esquina com a Marginal Pinheiros. De São Paulo, Ananda Commodore 64 para a Salt Cover.